Skip to the content

5 fatos sobre colesterol para você nunca mais esquecer

No Dia Nacional de Combate ao Colesterol, trazemos os principais aspectos em torno do tema, que coloca em risco a saúde do coração e pode afetar qualquer pessoa
No Dia Nacional de Combate ao Colesterol, trazemos os principais aspectos em torno do tema, que coloca em risco a saúde do coração e pode afetar qualquer pessoa

Quantas pessoas com colesterol alto você conhece? Ou você também faz parte desse grupo? Pois saiba que quatro em cada dez brasileiros adultos se encontram nessa situação, algo em torno de 60 milhões de pessoas ou 40% da população.

 

Muita gente, né? Os dados são de uma pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) no ano passado.

 

Mas você sabia que o colesterol, por si só, não é um vilão? É isso mesmo! O colesterol é um composto químico presente naturalmente no nosso organismo e no de outros animais. Ele atua na produção das membranas celulares e de determinados hormônios essenciais para o bom funcionamento do nosso corpo, sendo produzido principalmente no fígado.

 

Por causa disso, você já deve ter ouvido falar bastante sobre o colesterol bom (HDL) e o ruim (LDL). Manter as taxas de ambos regulares é o ideal, mas é quando há um desequilíbrio por parte do LDL que se caracteriza o quadro de colesterol alto, podendo levar a um problema ainda maior: o risco de doenças cardiovasculares.

 

Colesterol alto e doenças cardiovasculares: uma relação perigosa

 

As doenças cardiovasculares são a principal causa de mortes no Brasil, sendo responsáveis por mais de 30% dos óbitos registrados, de acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS). E entre as principais ocorrências em razão dos altos índices de colesterol no sangue estão o infarto e o acidente vascular cerebral, que, em muitos casos, são fatais.

 

Pensando na necessidade de alertar as pessoas sobre a conscientização e prevenção de doenças cardiovasculares, foi criado o Dia Nacional de Combate ao Colesterol, comemorado em 8 de agosto. E para mostrar que estamos juntos nessa, separamos os cinco principais fatos relacionados ao assunto para que você nunca mais tenha dúvidas.

 

  • Qual é a definição de colesterol alto?

O colesterol é um tipo de gordura produzida pelo fígado que, em níveis normais, ajuda na sintetização dos hormônios esteroides (testosterona e estrógeno). Dividido em frações (HDL e LDL), o colesterol é considerado alto quando suas taxas estão acima de 200 mg/dl. Nesse cenário, o acúmulo de colesterol ruim nas paredes das artérias causa a aterosclerose, restringindo, assim, o fluxo sanguíneo das veias e levando a complicações graves.  

 

  • O que leva uma pessoa a ter colesterol alto?

São vários os fatores ligados ao nível elevado de colesterol no sangue, mas a verdade é que ninguém está livre de passar pela situação. É de conhecimento do meio médico que existe uma predisposição genética, ou seja, mesmo quem adota hábitos saudáveis pode apresentar problemas com colesterol.

 

Algumas pessoas produzem mais esse tipo de gordura do que outras, principalmente aquelas que fumam. A condição também está muito associada à obesidade e ao sedentarismo, aumentando o risco de fenômenos obstrutivos tanto nas artérias coronarianas como nas dos membros inferiores e cerebrais, podendo ocasionar derrame, por exemplo.

 

  • Quais são os principais sintomas?

Esse talvez seja o fator mais perigoso envolvendo a presença de colesterol alto: é uma doença silenciosa. Isso significa que você pode passar anos sem sentir nada e só descobrir o problema quando algo mais grave acontecer. Na medida em que o excesso de colesterol começa a se depositar nas paredes das artérias, afetando seu funcionamento e levando ao que chamamos de isquemia (falta de fornecimento sanguíneo), alguns sintomas podem aparecer, como dor local forte. Por isso é muito importante realizar periodicamente o exame de sangue para controle das taxas de colesterol no sangue.

 

  • Os alimentos contêm colesterol?

Sim! Assim como o colesterol é produzido pelo nosso organismo, ele também está presente no de outros animais e pode ser adquirido por meio da alimentação (cerca de 70% é produzido pelo corpo, e o restante adquirido por alimentos, então essa lógica faz total sentido!).

 

Carne gorda, ovos, leite e seus derivados são alguns exemplos. Alimentos ultraprocessados, como biscoitos, salgadinhos, comidas congeladas prontas para consumo e embutidos também apresentam colesterol concentrado. Uma alimentação equilibrada e saudável, aliada à prática de atividade física, é o ideal para manter os níveis de colesterol controlados.

 

  • Como funciona o tratamento para colesterol alto?

O tratamento envolve uma análise criteriosa dos níveis de colesterol e os fatores de risco envolvendo a pessoa, mas geralmente são indicados medicamentos e a correção da dieta. É importante frisar que, para o controle adequado do problema, um deve complementar o outro. Não adiante tomar o remédio e não mudar o estilo de vida. Em relação aos medicamentos, a classe mais utilizada são as estatinas, que atuam sobre a formação enzimática do colesterol no fígado. As combinações permitidas pelo uso desses remédios reduzem o colesterol ruim de maneira eficiente.

 

E atenção!

 

Vale reforçar que o colesterol alto e suas consequências agem de modo silencioso. A única maneira de diagnosticar o problema é fazendo a dosagem dos níveis de colesterol total e, também, dos níveis de frações ligados ao HDL e ao LDL por meio da coleta de sangue. Portanto, fique atento: não deixe de cuidar da sua saúde!

Sobre o Autor

Viver Bem

Viver Bem é o programa de qualidade de vida da Estácio.

Outro Strip

Mauris ante augue, fringilla non accumsan at, imperdiet vel ipsum. Nunc hendrerit, felis nec hendrerit varius, lacus leo euismod mi, a pulvinar sapien libero.